quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Últimas
do twitter

Cidades

Tags:  Barraca, Corpo de Bombeiros, dinamite, Lanterna, Morro do Frota, PC, Pirenópolis, Reserva Florestal

Padrasto é suspeito de ter usado dinamite para se matar junto com enteada

Corpos foram encontrados ontem (17). Estudante e padrasto estavam cheios de cortes e com os órgãos expostos. Para polícia, padrasto é o principal suspeito de planejar o crime

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013 | Por: Elvis Marques

Elvis Marques

Delegado diz que dinamite foi usada na morte de  - Crédito: Reprodução/Facebook

Delegado diz que dinamite foi usada na morte de Loanne e do padrasto – Crédito: Reprodução/Facebook

O delegado de Polícia Civil (PC) de Pirenópolis, Rodrigo Luiz Jayme, informou que o laudo pericial aponta que as mortes da estudante de enfermagem Loanne Rodrigues da Silva Costa, de 19 anos, e do padrasto dela, Joaquim Lourenço da Luz, 47 anos, tenham sido provocadas por uma explosão de dinamites. De acordo com o delegado, Joaquim é o principal suspeito de planejar as mortes.

“Os corpos dos dois foram encontrados um por cima do outro. Eles estavam com a região da barriga cheia de cortes, e com os órgãos expostos”, disse o delegado responsável pelo caso. Para os peritos, as dinamites foram colocadas entre os dois. Os explosivos, de acordo com Rodrigo Luiz, teriam sido pegos em uma pedreira onde o padrasto da estudante trabalhava.

“Os peritos encontraram fragmentos de dinamite nos corpos dos dois”, contou Rodrigo Luiz. Ainda segundo ele, vários objetos foram encontrados pelos policiais na cena do crime. “A corda que estava amarrada na perna deles é igualzinha a uma que encontramos na casa de Loanne. A cor é a mesma. É tudo igual”, disse o delegado.

Ainda no local do crime, no Morro do Frota – uma reserva florestal próxima à cidade de Pirenópolis -, foram apreendidos: lanterna, barraca, colchão, mochila e uma faca. “O colchão nós tivemos informação que Joaquim tinha comprado ele em uma loja de Pirenópolis”, disse o delegado Rodrigo.

O investigador disse ainda que a faca encontrada no local do crime foi reconhecida por Sandra Rodrigues da Silva, mãe de Loanne. “A mãe reconheceu a faca. Disse que era da casa dela”, ressaltou o policial.

“Nós ficamos sabendo que uma pessoa disse ter visto o Joaquim subindo o morro no dia anterior do crime. Mas ainda não localizamos essa testemunha. Tudo leva a acreditar que o padrasto da jovem que tenha arquitetado todo o crime”, relatou Rodrigo Luiz, que investiga o caso.

Ciúmes    

Até a tarde de quarta-feira (18), a PC já havia ouvido algumas testemunhas, entre elas a mãe de Loanne Rodrigues e uma amiga da estudante. O irmão da jovem também deve ser ouvido hoje. No depoimento de uma amiga da universitária foram relatados alguns episódios de ciúmes, segundo a polícia.

“A amiga da jovem disse que Loanne tinha uma relação boa com o padrasto, e só reclamava que ele tinha muito ciúme dela. Ela disse que ele ligava muito para ela, principalmente quando ela saía”, informou o delegado da PC. A mãe de Loanne, segundo o titular da delegacia de Pirenópolis, disse à polícia“que não acredita em um relacionamento amoroso entre a filha e o Joaquim Lourenço”.

Em caixões fechados, Loanne Rodrigues e Joaquim Lourenço foram enterrados na manhã desta quarta-feira, no Cemitério de Pirenópolis, em meio a “grande comoção da cidade”, lembrou Rodrigo Luiz.  O inquérito policial deve ser concluído, conforme o delegado, em 30 dias.

O crime

Os corpos de padrasto e enteada foram encontrados por volta das 13 horas desta última terça-feira (17) em uma mata, no Morro do Frota, nas proximidades da cidade de Pirenópolis.

Segundo os bombeiros do município, Loanne Rodrigues e Joaquim Lourenço estavam desaparecidos desde a tarde de segunda-feira (16), quando haviam saído para tirar fotos na reserva florestal.

SAIBA MAIS: Padrasto e enteada são encontrados mortos em Pirenópolis