terça-feira, 2 de setembro de 2014

Últimas
do twitter

Essência

Tags: 

O mito de Lovecraft

Pai do terror psicológico, o autor Howard Philips Lovecraft morria há 77 anos, Providence, Rhode Island

sábado, 15 de março de 2014 | Por: Editoria

José Abrão

A entidade transdimensional Cthulhu e seu mito são a criação mais famosa do autor

A entidade transdimensional Cthulhu e seu mito são a criação mais famosa do autor

Howard Phillips Lovecraft, mais conhecido como H.P. Lovecraft, foi um escritor que entrou para o hall dos grandes clássicos da literatura mundial por intermédio de um gênero inesperado: as histórias de terror. O estadunidense nascido em Providence, na Nova Inglaterra, é até hoje um dos maiores expoentes do gênero e influenciou praticamente todos os grandes nomes que vieram depois, como Stephen King, autor de Carrie, A Estranha, Christine, A Coisa, O Iluminado, entre tantos outros.

O autor, porém, nunca escreveu romances e não obteve reconhecimento em vida. Suas mais de 200 histórias foram publicadas em diversas revistas e periódicos pulp, principalmente a Weird Tales, publicada até hoje, e atraíram a atenção de outros autores que, assim como ele, foram influenciados por Edgar Allan Poe e escreviam em gêneros pouco explorados, como terror, ficção centífica e fantasia. Entre eles estava Robert E. Howard, criador de Conan, O Bárbaro, considerado o melhor amigo de Lovecraft. Ele também gostava de se corresponder com autores, amigos e outras pessoas, tendo trocado cerca de 100 mil cartas em vida, uma das maiores correspondências pessoais conhecidas.

Embora influenciado pelo mistério sobrenatural de Poe, Howard achava vampiros, zumbis e lobisomens temas batidos. Muito interessado por ciências e tecnologia, ele optou por um terror diferente: também fantástico, mas desconhecido. Em suas histórias povoadas de monstros, raramente as criaturas são vistas e são sempre desconhecidas e indescritíveis. Era o terror psicológico: o medo estava muito mais no suspense, nas sombras e em não ver o monstro do que nas criaturas em si. Muitos dos personagens enlouqueciam só de encarar os monstros.

Já a inspiração vinha da própria vida perturbada do autor e da sua infância difícil: seu pai morreu de sífilis, não antes de ficar louco por causa da doença quando Howard ainda era uma criança. Sua mãe, sem saber lidar com a perda, vestia o filho e o tratava como o falecido marido e seu avô, que agora sustentava a família, lhe contava histórias de terror antes de dormir.

Além disso, quando garoto, tinha uma saúde frágil e sofria de problemas emocionais e psicológicos. A escrita foi a salvação do pequeno Howard: ele começou a escrever suas primeiras histórias ainda bem criança. O que escrevia? Contos de terror inspirados em seus próprios pesadelos. Infelizmente, o autor não pôde continuar sua carreira, e morreu precocemente de câncer de intestino quando tinha 46 anos, em 15 de março de 1937.

Legado

Ao longo dos anos, o autor arrebanhou uma grande quantidade de fãs. No Brasil, estão espalhados em páginas, sites e fóruns, como a página do Facebook, Lovecraft Brasil, com mais de 500 membros. Uma das mais interessantes é o site Lovecraft (sitelovecraft.com) criado pelo funcionário público de Jundiaí, Denílson Ricci. “Como existiam poucos sites no Brasil sobre o escritor, comecei uma pesquisar, e dessa pesquisa inaugurei o site em abril de 2004, que com o tempo se tornou um grande portal. Com o tempo e contribuições de amigos internautas, o site, ao longo dessa década, atraiu a atenção acadêmica, e influenciou toda um leva de livros de várias editoras e o interesse pela obra de H.P. Lovecraft no Brasil”, contou Denílson.

Como muitos dos leitores e fãs, Denílson conheceu o autor por acaso. “Em meados de 2003, fiquei sabendo de um baú que pertencia ao falecido avô de uma grande amiga. Fui até a casa dela e o encontramos no sótão. Ao fuçar o baú, encontrei várias coisas, entre elas, o primeiro livro de Lovecraft impresso no Brasil (O Que Sussurrava nas Trevas, ed. GRD, SP, 1966). Gostei muito da temática, e a partir daí adquiri outros livros e procurei na web mais informações sobre o autor e seu gênero fantástico de horror”.

O site também é responsável por compilar uma edição de luxo que reúne os principais trabalhos de Lovecraft: O Mundo Fantástico de Lovecraft: Antologia – Contos, Poesias e Ensaios. A edição de luxo é feita por encomenda, e pode ser adquirido no site. “Foram três longos anos de desenvolvimento do livro. O sucesso foi tanto que criamos uma editora a partir desse livro, a Editora Clock Tower, que hoje se dedica a publicar obras de grandes mestres do passado do gênero horror, como é o caso do livro inédito que estamos traduzindo, o clássico The King in Yellow, escrito por Robert W. Chambers, um grande influenciador da obra de Lovecraft. Agora sobre O Mundo Fantástico de H.P. Lovecraft, estamos no prelo para a segunda edição que foi melhorada. Contos, poesias e ensaios – o livro tem de tudo um pouco, além de ótima biografia de Lovecraft, extras e um fino acabamento e um das melhores capas que já vi. Infelizmente, não tem Nas Montanhas da Loucura, mas faz parte dos planos uma edição especial futura com a novela”.

Outro ponto de encontro para os fãs brasileiros é o fórum Culto Lovecraftiano, do Yahoo! Grupos, que propõem diversas discussões e trocas entre fãs. O autor também ganha forças na cultura pop em filmes e jogos, como a série de tabuleiro Arkham Horror, Elder Sign, Eldritch Horror e Mansions of Madness.

O Mito de Cthulhu

Não, não é palavrão. Cthulhu (lê-se “ku-tu-lu”) e seu mito é a principal criação de Lovecraft. Suas histórias não formam uma sequência, mas possuem relação entre si: todas elas se passam, digamos assim, no mesmo universo, principalmente na região norte-americana da Nova Inglaterra e na cidade fictícia de Arkham. Entre elas, uma quantidade significativa forma o Mito de Cthulhu, uma mitologia complexa e original criada pelo autor.

Segundo o mito, quando a Terra ainda estava sendo criada, aqui habitaram gigantescas e titânicas criaturas, conhecidas como Os Grandes Antigos. O sumo-sacerdote deles é Cthulhu, uma criatura com cabeça de polvo, asas de dragão e corpo de gente. Juntos, eles hibernam, esperando o momento de voltar, se comunicando telepaticamente com uma secreta e terrível seita que os adora, inclusive fazendo sacrifícios humanos. Muito dos mitos envolvem outras dimensões, criaturas horrendas e até um pouco de ficção científica: Os Grandes Antigos teriam vindo do espaço, da sua “distante morada nas estrelas”.

O mais famoso destes contos é O Chamado de Cthulhu, em que o dito cujo aparece, e Nas Montanhas da Loucura, quando uma expedição arqueológica encontra uma cidade gigantesca em meio a montanhas isoladas do pólo norte. Essa história inclusive influenciou no clássico filme O Enigma de Outro Mundo, de John Carpenter. Outro conto muito influente do Mito é A História do Necronomicon, envolvendo um terrível livro de Necromancia.